Translate

sábado, 7 de abril de 2018

Os protótipos Elva


  ELVA GT  

Complemento das matérias anteriores sobre a História dos ELVA, carros fabricados aqui na Bahia por Elcio Paiva no final dos anos 60.

A história dos protótipos de competição Elva começa no final da década de sessenta, quando Élcio Paiva, um engenheiro carioca e piloto de Kart, que veio com os pais morar na Bahia, decidiu fazer um carro para uso próprio, baseado nos moldes dos GTs esportivos e de competição que estavam muito em moda àquela época. Para realizar uma empreitada de tal envergadura Élcio contou com a ajuda do amigo e também engenheiro elétrico Raimundo Castro, mais conhecido como “Castrão”. Também participaram da construção do carro os amigos Francisco (Chiquinho) Lima Ribeiro, Paulo Roberto dos Santos e o piloto Lulu Geladeira (mecânica).
 
O GT usaria o chassi e mecânica Volkswagen como era a maioria dos fora de série brasileiros da época, pois não haviam muitas opções no mercado para servir de base para um projeto de porte como a criação de um automóvel esportivo. 
Após a fase inicial de projetos eles começaram a fazer os moldes da carroceria de fibra, na garagem da casa dos pais de Élcio no bairro da Pituba em Salvador.

Além do chassi e da mecânica o ELVA GT herdou dos VW muita coisa da parte elétrica e de acabamentos, tendo algumas peças sido fabricadas com exclusividade para ele, a exemplo de vidros laterais e traseiro, bancos e acabamentos diversos, herdando também dos PUMAS alguns componentes como os limpadores de para brisa.

Os primeiros testes de rua foram um sucesso e o GT agradou em cheio, por onde passava chamava muito a atenção de curiosos e automobilistas de todas as idades. Após os devidos procedimentos técnicos e aprovação no DETRAN o garboso GT, já devidamente emplacado, passou a circular pelas ruas de Salvador enchendo de orgulho os seus projetistas e construtores.
 O ELVA GT,  no antigo Kartódromo do Stiep em Salvador Bahia.
 
 Abaixo as fotografias e a reportagem feita com o ELVA GT em 1971, pela revista Auto Esporte.


As belas formas foram inspiradas no Ford GT 40 e na Lamborghini P 250.

Interior confortável e bonito, com excelente acabamento.

Reprodução ampliada da reportagem da revista Auto Esporte



Reportagem original da revista Auto Esporte, com dedicatória e assinatura de Elcio.

ELVA GT

OS PROTÓTIPOS DE COMPETIÇÃO:

Era a época de ouro do automobilismo baiano, a cidade tinha corridas com regularidade e varias equipes de competição sedentas para evoluir dos carros de turismo, preparados para correr na categoria força livre e migrar para a coqueluche do inicio dos anos setenta, que eram os protótipos de corrida.
  Elcio (à direita) e Chico Ribeiro (dentro do carro), finalizando a construção do Elva II da Equipe RM.

No final dos anos 60 e inicio dos anos 70 construíam-se protótipos por todo o Brasil a fora, do Rio Grande do Sul ao Ceará e como não poderia deixar de ser, a Bahia seguiu a tendência do resto do país. Neste contesto, o Elva se encaixou perfeitamente e logo entrou em cena com uma versão sem capota, baseada nas linhas do belo e aerodinâmico GT.
O primeiro Elva de competição foi produzido para a equipe Cobape, tendo o mesmo obtido alguns bons resultados nas corridas locais e regionais, chegando a correr nos 1.000 Km de Brasília de 1970.

  Protótipo ELVA I da Equipe Cobape, com chassi tubular.

Foram feitos protótipos Elva tanto com o aproveitamento da plataforma Volkswagen, como também com chassi tubular, com características e projetos diferentes, de acordo com a mecânica a ser adotada. 
           O primeiro protótipo ELVA  da Equipe Cravo-Bauer nº111, utilizava ainda o chassi Volkswagen.
ELVA III da Equipe  RM, alinhado para mais uma largada no Circuito da Avenida Centenário em Salvador, pilotado por Roberto Bahia. Este foi o último e o mais belo dos carros feitos por Élcio.

Protótipo RM – Era uma carroceria ELVA modificada e encurtada, com chassi tubular, era um carro muito veloz, porém deixou de vencer varias corridas devido a falhas mecânicas e excesso dos seus pilotos.

 Protótipo Elva da Cobape correndo nos 1000 Km de Brasília em 1970, pilotado pelos irmãos Fred e Carlos Leal, teve que abandonar a prova por acidente e consequente falha mecânica.

O primeiro protótipo ELVA da Cobape, foi destruído num acidente na Centenário, pilotado por Carlos Alberto Medrado.
O segundo protótipo ELVA da Equipe Cravo-Bauer nº2, alinhado para largada no Autódromo Virgilio Távora no Ceará, aparecendo na foto os pilotos Ivan Cravo à esquerda e Otavio Cravo à direita com o capacete na mão, aparecem ainda Otto Bauer sentado no carro e o escultor Mario Cravo, de pé usando chapéu de palha. Este protótipo ELVA II era montado sobre um chassi tubular, diferentemente dos primeiros Elvas que utilizavam a plataforma Volkswagen.


ELVA II da Equipe Cravo-Bauer, alinhado para uma corrida no Ceará. No centro Otto Bauer e o piloto Ivan Cravo.

O primeiro Elva da Cravo-bauer, vencedor da prova Norte/Nordeste de 1971 em Salvador, pilotado por Ivan Cravo. Nas duas fotografias abaixo, vejam os detalhes do painel e da traseira, onde da para ver os enormes carburadores Weber 48.


NOTÍCIAS DA ÉPOCA:

Nesta notícia de um jornal da época, nas quatro fotografias exibidas em que aparecem protótipos, três são Elva.
 Notícia sobre acidente com o protótipo Elva da Cravo-Bauer, na curva do posto da Avenida Centenário.

 Noticia em um jornal do Ceará, sobre Ivan Cravo e o protótipo Elva da Cravo-Bauer.

Noticia do Jornal da Bahia de janeiro de 1972, sobre o Elva III da Equipe RM, que foi o vice-recordista do Circuito da Avenida Centenário. 
 É desconhecido o destino do Elva GT e dos protótipos da Equipe Cobape e da Equipe RM, quanto aos dois protótipos da Equipe Cravo Bauer, foram destruídos em um incêndio que aconteceu no atelier do escultor Mario Cravo, onde os mesmos estavam guardados, juntamente com o Fusca e o Lorena GT da equipe.

Old Races.blogspot.com
Produzido por MAURICIO DE CASTRO LIMA -  m.castrolima.arq@gmail.com

Material utilizado na matéria: fotos de jornais da época, anotações, fotos e desenho do autor, fotos do acervo dos pilotos Mario Monteiro, Ivan Cravo, Fred Leal e Carlos Medrado, fotos do acervo de Arthur Barros, foto retirada de mestrejoca.blogspot.com, pesquisas na INTERNET.

Nenhum comentário:

Postar um comentário