Translate

terça-feira, 19 de junho de 2018

A "Tríplice Coroa" do automobilismo




Graham Hill foi o único piloto do mundo a alcançar a Tríplice Coroa do Automobilismo.
Na primeira fotografia, Hill pilotando uma BRM, em uma das suas várias vitórias em Mônaco e na fotografia abaixo, vencendo com Lotus nas 500 Milhas de Indianápolis.

Apesar de já usado anteriormente em outras modalidades de esportes, como as corridas de cavalos por exemplo, o termo "tríplice coroa" começou a ser instituído (extraoficialmente) no automobilismo, na década de 40 e era usado para referenciar o piloto que conseguisse o feito de ganhar as três mais prestigiosas e tradicionais corridas do mundo àquela época, que eram as 500 Milhas de Indianápolis,  o GP de Mônaco e as 24 Horas de Le Mans

O único piloto do planeta que conseguiu até hoje realizar a dificílima façanha, foi o genial e versátil piloto britânico Graham Hill, que completou o feito em 1972 ao vencer em Le Mans com uma Matra Simca.



Por várias décadas a tríplice Coroa ficou esquecida até quando o canadense Jacques Villeneuve foi competir em Le Mans com uma real chance de vitória, (terminou na segunda colocação) e a imprensa desinformada andou alardeando que se ele fosse o vencedor ganharia a tríplice coroa pois já tinha ganho as 500 Milhas de Indianápolis e o titulo mundial de Fórmula 1.
Essas noticias equivocadas criaram uma polêmica que dura até os dias atuais, sempre alimentada por jornalistas e pessoas sem o devido conhecimento da real história do automobilismo mundial.
Para nós é muito claro, a TRÍPLICE COROA do automobilismo refere-se exclusivamente ao ganhador das três corridas citadas acima e ponto final, mesmo porque, o campeonato de Formula 1 só foi criado em 1950 e o título já existia há pelo menos uma década. 
Agora volta-se a falar muito no assunto, pois o bicampeão mundial de Formula 1 Fernando Alonso, que acabou de vencer as 24 Horas de Le Mans com um protótipo da Toyota e visivelmente tenta repetir o feito de Hill, passa a ser junto com o piloto colombiano Pablo Montoya, os únicos pilotos em atividade com reais chances de êxito. Segundo rumores, Alonso disputaria as 500 milhas de 2019 com um carro da McLaren, já Montoya continua tentando vencer em Le Mans.

 Alonso e a vitória nas 24 Horas de Le Mans 2018.


Old Races
  oldraces.blogspot.com m.castrolima.arq@gmail.com

quinta-feira, 7 de junho de 2018

3 anos sem Lulu Geladeira



Há 3 anos atrás, no dia 3 de Junho de 2015, falecia o grande piloto baiano Luis Pereira dos Santos, o Lulu Geladeira, que foi um dos pioneiros do esporte automobilístico na Bahia.
Deixamos aqui a nossa homenagem ao grande piloto e ao grande amigo.
Fique em paz Lulu!

Lulu Geladeira pilotando o Puma Porsche nº 17 da escuderia AF, em 1969.


Old Races
oldraces.blogspot.com 

terça-feira, 5 de junho de 2018

Pelas ruas de Londres nos anos 60/70


Vamos fazer um passeio no tempo pelas ruas de Londres das décadas de 60/70, neste que foi o período áureo do desenvolvimento do automóvel:

 Inicio dos anos 60, Kings Road Chelsea.
 Soho inicio dos anos 60



  Carnaby Street.

 Chelsea 1969.





Os Rolls Royce


Eaton Square 1978 



Lancaster Gate

A Rainha Elizabeth
Piccadilly
Piccadilly Circus 1978


Regent Street 1979


Battersea 1979

 Buckingham Palace 1979

 Westminster - Big Ben 1979

 The Roof Gardens, Kensington 1979

Regines Night Club 1979

Mayfair 1979


Fotografias de Dave Walker (20th Century, Kensington), londonist.com, Mauricio Castro Lima e fotografias compartilhadas da Internet sem indicação de direitos autorais.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Relembrando a Equipe Curvello

- HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO BAHIANO -

Carretera Volkswagen 1900cc nº4 da Equipe Irmãos Curvello - Mauricio Castro Lima / Antônio Medeiros Neto, na Prova Duque de Caxias.

Relembrando a Equipe Curvello que atuou nas corridas dos anos 60/70:

A Equipe Curvello tinha como principais patrocinadores a revenda Volkswagen Irmãos Curvello, a distribuidora de combustíveis e lubrificantes SANCA e Veloz HP.
Os pilotos que correram pela Curvello foram Mauricio Castro Lima e Antônio Medeiros Neto.
Nossas lembranças também para André Curvello (box) e Antônio Sacerdote, o Dão (mecânica). 
Entre alguns bons resultados, destacamos em especial o primeiro lugar e o quinto lugar nas duas provas Duque de Caxias na semana do exercito em 1970.

A sede da Equipe Curvello era na revenda Volkswagen Irmãos Curvello, na Cidade Baixa.



O Volkswagen 1900cc divisão 4 Força livre, nº4, da Equipe Curvello, era muito leve, tinha só a estrutura da carroceria original em aço, as demais partes eram todas em fibra de vidro, o que o tornava um carro muito veloz.

Mauricio Castro Lima.
Antônio Medeiros Neto.
O Fusca 4 e as taças, em exposição na loja da Irmãos Curvello, em maio de 1970.

Mauricio Castro lima, no retorno do túnel, circuito da Avenida Centenário nas 2 Horas de Salvador, em 1969.



Veja mais sobre a Equipe Curvello clicando nos links abaixo:





Material utilizado:  Fotografias, montagens , desenhos esquemáticos e textos do arquivo pessoal de   Mauricio Castro lima. 
oldraces.blogspot.com m.castrolima.arq@gmail.com